Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Dicas de Saúde

Infecção trato urinário

Infecções do trato urinário

Como se caracterizam?

A infecção do trato urinário constitui-se em uma das afecções mais comumente verificadas na prática médica. Compreende uma variedade de doenças que podem acometer todo o trato urinário e com manifestações clínicas peculiares. Chama-se infecção do trato urinário a presença de microorganismo no trato urinário, incluindo rins, bexiga e próstata.

Quais são suas causas? 

Em geral, são causadas por bactérias, mas os fungos e vírus também podem agredir o trato urinário. A urina é estéril, ou seja, a presença de bactérias na urina é considerada anormal.

Como evoluem? 

Na grande maioria das vezes a infecção urinária é chamada não-complicada ou simples. Em geral, responde prontamente ao tratamento antibiótico e não se acompanha de anomalias estruturais do trato urinário. Na presença de infecções de difícil controle, deve-se pensar em alterações anatômicas do trato urinário, assim como na presença de condições gerais que possam favorecer a sua ocorrência, tais como diabetes melito.

A via de acesso do microorganismo ao trato urinário é, na quase totalidade das vezes, a via ascendente, ou seja, do meio externo para o interno. A uretra é inicialmente colonizada, sendo a bexiga e os rins posteriormente acometidos.

Como se diagnostica? 

O diagnóstico se estabelece no momento em que se documenta a presença de bactérias na urina. A infecção baixa, a cistite, é muito mais comum no sexo feminino e se manifesta com dor, micções repetitivas, incômodo retropúbico e não se acompanha febre.

Por que é mais frequente em mulheres?

O fato de a mulher apresentar uma uretra curta, cerca de 3cm, explica a maior incidência no sexo feminino. A mulher apresenta, em 3 momentos da vida, um maior pico de incidência: na infância, quando inicia atividade sexual e na pós-menopausa. Como já mencionado, o comprimento da uretra facilita a migração das bactérias para interior do trato urinário. Na infância, pode haver asseio inadequado; na idade adulta, quando do início da atividade sexual, existe um trauma natural do meato uretral (orifício da uretra), que se abre na vagina; e na menopausa a redução dos hormônios femininos leva a uma redução das defesas locais. Esses seriam os fatores explicativos dos picos de ocorrência. Fica, assim, clara a importância de se tratarem episódios de vulvovagites, que promovem uma alteração da flora vaginal, favorecendo a colonização da vagina por bactérias patológicas.

Quais são as suas causas no homem? 

No homem ocorre uma maior incidência na infância, em decorrência das anomalias congênitas do trato urinário, e ao redor dos 50 anos, em decorrência do aumento prostático e aparecimento de resíduo pós-miccional (a urina que fica acumulada na bexiga após a micção).

O que é pielonefrite? 

Quando a infecção do trato urinário se acompanha de febre alta e queda do estado geral, devemos pensar em infecção do rim, a pielonefrite, que não pode apresentar queixas urinárias baixas, dor e micções repetitivas. No homem, em particular, quando apresenta sintomas urinários baixos, devemos lembrar da possibilidade de quadro de prostatite aguda, ou seja, infecção do tecido prostático.

A pielenefrite sempre inspira maior atenção do médico, por significar o acometimento do rim; episódios repetitivos podem levar a comprometimento do tecido renal com prejuízo da sua função.

Fonte: 

 SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS, KAUFFMAN, PAUL, HELITO, ALFREDO SALIM DE, Ano:  2007. Editora: NOBEL