Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Notícias

Rinite

Rinite alérgica

Por que a rinite alérgica tem preocupados as autoridades de saúde? 

A rinite alérgica é uma das doenças crônicas mais frequentes, afeta até 30% da população. Tanto a rinite como a asma vem aumentando em incidência e gravidade nas últimas décadas. Isto pode ser atribuído a fatores como moradia, vida sedentária, etc. Assim, não chega a ser surpresa que os antialérgicos sejam o segundo grupo de medicamentos mais vendidos nos EUA, superados apenas pelos analgésicos.

Quais são os sintomas da rinite alérgica?

Os sintomas típicos são coceira nasal, coriza clara, espirros em salva obstrução nasal. Apesar de não ser considerada uma doença incapacitante, existe possibilidade de complicações, como o aparecimento de sinusite e asma. 

Todas as rinites são alérgicas? 

Não, existem rinites alérgicas e não alérgicas, apesar de os sintomas serem semelhantes. As primeiras são devidas à sensibilização por algum alergênico (por exemplo: pó, pelo de animais) e apresentam testes alérgicos positivos. As rinites não-alérgicas podem ser por muitas outras causas, como: rinite infecciosa (viral bacteriana), rinite vasomotora, irritativa, medicamentosa (por uso contínuo de gotas nasais como vasoconstritores) e rinite hormonal, dentre outras.

Como identificar qual é o tipo de rinite e sua gravidade?

Para diferenciar as rinites, é necessário que o médico faça uma história clínica detalhada e o exame físico do nariz, que pode incluir endoscopia nasossinusal. Raios X e tomografia só ajudam nas complicações. Para identificar qual é p alergênico (substância que causa alergia) causador, são feitos os testes cutâneos e/ou exames de sangue incluindo o RAST, que é o teste alérgico feito no sangue.

Quais são os fatores que desencadeiam a rinite alérgica? 

Os fatores causadores das rinites alérgicas podem variar. No Brasil, os principais desencadeantes são os ácaros da poeira doméstica. Em países do Hemisfério Norte, é frequente a alergia por pólens. Outros fatores muito importantes também são os fungos, baratas e epitélios de animais; até alguns poluentes têm mostrado capacidade de sensibilização. Os alimentos podem ser causadores de sintomas nasais nas crianças menores. Cheiros fortes, perfumes, desinfetantes, cloro de piscina, fumaça de cigarros e ar-condicionado são os fatores de piora por serem irritantes da mucosa nasal.

Por que se fala tanto de ácaros como causadores de alergias? 

Os ácaros são o principal fator determinante de alergia respiratória no Brasil, por condições climáticas ideais de temperatura e umidade. Alimentam-se de todo o tipo de matéria orgânica, como papel, lã, pelos de animais, fungos e também pele descamada. Os ácaros se localizam mais no quarto de dormir, que é onde o paciente passa mais tempo.

Por que é importante tratar a rinite alérgica, um problema crônico aparentemente inofensivo? 

Na prática, existem pacientes que já se acostumaram aos sintomas e só procuram o médico por problemas mais urgentes. É importante incentivá-los a tratar a alergia nasal, pois atualmente muitos estudos comprovam os efeitos deletérios das rinites, mesmo moderadas, sobre a função cognitiva, atenção e psicomotricidade, em adultos e crianças. Os sintomas de alergia, associados ao efeito dos antialérgicos que causam sono, também podem diminuir o nível de reflexos, resultando em acidentes de trabalho e trânsito.

Como se faz o tratamento? 

O tratamento de rinite alérgica consiste na orientação do controle ambiental no domicílio e no trabalho, bem como na prática de exercícios físicos, em medicamentos para prevenir e tratar crises, além de vacinas ou cirurgia nasal quando for preciso. Uma medida prática e muito eficiente são as lavagens nasais frequentes com solução salina. Nas crianças e adolescentes com obstrução nasal crônica, causa ou corrobonada pela rinite alérgica, é preciso também avaliar a necessidade de acompanhamento fonoaudiológico e ortodôntico, se necessário.

Como se orienta o controle ambiental? 

Para o controle ambiental são orientadas medidas profiláticas, já bem conhecidas, de se evitar acúmulo de pó, objetos e papéis, arejar e ensolarar o ambiente, enfim, eliminar os fatores desencadeantes, o que é possível quando estes animais, difícil quando se trata de poeiras e fungos, e impossível com os pólens. Muitos produtos novos, como desumidificadores, esterilizadores e aspiradores mais potentes, já estão disponíveis no mercado, mas nem sempre são eficientes.

Quando e como se devem usar antialérgicos no tratamento da rinite? 

Depende do caso. Os antialérgicos, ou anti-histamínicos, são medicamentos de venda livre e relativamente seguros. Muitos deles podem levar à sonolência exagerada e atrapalhar as atividades do paciente, mas já existe uma nova geração de anti-histamícos menos sedantes. Alguns medicamentos podem ser utilizados por crianças. Observa-se uma tendência de o organismo a se acostumar com o antialérgico, se usado por muito tempo. Os pacientes idosos, glaucoma ou que sofrem de problemas como pressão alta, devem evitar as preparações medicamentosas que contenham antialérgico misturado a descongestionantes (antigripais), mesmo os de venda livre no mercado.

 Caso o medicamento não seja eficaz, somente o médico especialista pode avaliar as causas da ausência de resposta ao medicamento, através de exames.

Não é perigoso usar medicamentos com cortisona, mesmo que somente dentro do nariz? Os corticosteroides, tópicos ou sistêmicos (que atingem todo o organismo), são de grande utilidade no tratamento das rinites, porém só devem ser ministrados por via oral ou parental para o tratamento das crises e no caso de insucesso de outros medicamentos, sempre com o cuidado de observar as muitas contra-indicações e as complicações por uso indiscriminado. Os corticóides tópicos têm excelente ação sobre a mucosa nasal, tanto nas rinites alérgicas como nas não alérgicas e são relativamente seguros, mas o paciente submetido a este tratamento deve consultar o médico otorrino, para avaliação de efeitos colaterais, apesar de mais raros.

Tratamentos com vacinas são indicados nas rinites? E cirurgias? 

Somente na rinite alérgica, quando não há resposta adequada a medicamentos, a vacina pode ser indicada. É necessário que o paciente tenha testes alérgicos ou RAST positivo para os alérgenos que vão compor a vacina. É imprescindível que este tratamento seja seguido por especialista. A cirurgia nasal é indicada apenas nos casos de obstrução mais grave sem melhora clínica. Nestes casos, a avaliação do otorrinolaringologista deve sanar também alterações anatômicas concomitantes, como desvio septal ou hipertrofia das adenóides (conhecido como carne espanjosa, órgão localizado na parte posterior e superior da rinofaringe semelhante à amigdala). Novas técnicas cirúrgicas micro e endoscópicas têm facilitado o acesso aos seios da face, quando existir acometimento dessas estruturas.

  Fonte: 

 SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS, KAUFFMAN, PAUL, HELITO, ALFREDO SALIM DE, Ano:  2007. Editora: NOBEL